terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

EMPRESAS FICARAM COM MILHÕES DE EUROS DOS TRABALHADORES


Esta questão não se deveria colocar num país verdadeiramente civilizado e democrático.Pois acontece que segundo uma notícia de um diário, vinda a lume no passado dia 11 de fevereiro é revelado que os trabalhadores por conta de outrem realizaram em média no ano de 2018  mais de dois milhões e meio de horas extraordinárias não pagas por semana.Sublinhe-se não pagas!Trabalho dado às empresas com sacrifício tantas vezes da vida familiar e do descanso do trabalhador.Um aumento de 13% face a 2017.
Segundo os autores da notícia poderiam ser criados mais de 60 mil empregos.Os patrões e acionistas meteram ao bolso dezenas de milhões de euros.Milhões que deveriam ter entrado nos bolsos dos 576 mil trabalhadores que fizeram horas extras.Tudo somado quem fez trabalho extraordinário fez uma média de nove horas por semana das quais metade não foi paga.
Esta revelação não é escanadalosa?É um grande escandalo pois é uma dívida enorme que as empresas têm com os seus trabalhadores.Trabalhar de graça é trabalho escravo. O Presidente da República deve tomar posição e o governo deve fazer cumprir  lei, ou seja, deve obrigar a que o trabalho extraordinário seja pago.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

O PIMEIRO MINISTRO PERDEU O TINO?

As recentes declarações do Primeiro Ministro sobre as greves dos enfermeiros demonstram algum desnorte político de António Costa.Dizer que as ditas greves são ilegais e selvagens  não tem qualquer razoabilidade política nem jurídica.
Poderemos dizer que penalizam alguns utentes, que podem contribuir para a erosão do SNS, do governo e dos sindicatos.No entanto, as ditas greves são legais e não têm qualquer carácter de «selvagem» pois são convocadas por organizações sindicais legítimas e legalizadas.Os serviços mínimos estão a ser cumpridos com rigor.A greve é um direito fundamental que não pode ser restringido de quaçlquer maneira.
Mas, mesmo que não fossem convocadas por sindicatos mas antes por uma comissão de greve, também seria legal e nunca selvagem.A nossa legislação laboral permite que uma assembleia de trabalhadores possa convocar uma greve ,devidamente aprovada por uma maioria, e eleger a respectiva comissão de greve!O Dr. António Costa sabe pouco de sindicalismo e de legislação laboral!Mas um líder socialista deveria saber estas coisas!Para não fazer declarações deste tipo!Ficam muito mal!
António Costa poderia pedir aos sindicatos para ponderarem melhor as suas lutas tendo em conta a situação crítica do sector da saúde, dar orientações ao governo para negociar as justas reivindicações dos enfermeiros por etapas, tendo em conta que não será possível satisfazer tudo de uma vez!Mas nunca fazer ameças e declarações insustentáveis.
Claro que estas greves são impopulares e vão servir para a direita mais adiante pedir a revisão da lei da greve já abordada internamente pelo anterior governo de Passos/Portas.Claro que o seu financiamento também levanta dúvidas !Uma coisa é uma greve ser financiada por uma caixa de greve dos associados e trabalhadores do sector outro assunto é ser financiado por fontes desconhecidas, anónimas e exteriores à organização sindical.
As greves que afectam os serviços essenciais às populações exigem muita sensibilidade e flexibilidade nas formas de luta sindical.É que o feitiço pode virar-se contra o feiticeiro!

sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

A DIREITA MEXE-SE!

O ano de 2019 vai ser um tempo muito movimentado sob ponto de vista político! A direita tudo vai fazer para que a memória da «geringonça» seja uma má memória e nunca mais se venha a repetir.Já existem movimentações e indícios de que a direita e a extrema direita de forma convergente estão trabalhando nesse sentido
.A questão da segurança dos cidadãos será a pedra de toque.O grande objectivo será meter medo e provocar a insegurança nas populações, reforçando a ideia já largamente propalada aquando dos incendios florestais de que o Estado, agora gerido pelo PS com o apoio dos partidos de esquerda,não consegue dar a segurança necessária aos portugueses.Assim tudo vai ser utilizado e fomentado para que nos próximos meses se instale algum caos no País.
Neste quadro vão ser montadas diversas armadilhas aos membros do governo e políticos dos partidos apoiantes.Revelações, falsas ou não, até agora na gaveta verão a luz do dia.Acontecimentos como os que agora vimos nos bairros pobres serão devidamente explorados.Qualquer acidente de maior monta será devidamente explorado, bem como a seca excessiva, a chuva em demasia.As máquinas da comunicação social  e grupos discretos já estão a trabalhar para juntar material «explosivo», provocar sarilhos.Eventualmente a Justiça entrará em cena com revelações sonegadas por alguém nomeadamente sobre o caso Sócrates e outros dirigentes do PS.
Mas o BE também será armadilhado como agora se viu com a violência dos jovens e da polícia nos bairros pobres.Sobre o PCP também se actua.Ainda recentemente tivemos o caso na Câmara Minucipal de Loures devidamente explorado e virá mais!
Poderá o leitor dizer que estou com delírios conspirativos,Acreditem que não.Esta estratégia das direitas tem, inclusive, aliados no interior do aparelho de Estado,desde elementos na polícias, nos bombeiros, hospitais,etc etc..Existe aliás um fio condutor em toda a Europa na actuação da extrema direita.Mas em Portugal não sabemos onde começa a direita e a extrema direita!

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

LISBOA ESTÁ A ARDER?

Temos que admitir que as imagens e as notícias dos últimos dias sobre as manifestações nos bairros pobres da Grande Lisboa/Setúbal são um forte murro no estômago de muitos portugueses!Foram necessárias cenas de violência naqueles bairros para que as televisões nos mostrassem como vivem milhares de pessoas , portugueses e imigrantes, em alguns bairros periféricos da capital.
A comunicação social inicia de imediato a «cena do costume», ou seja, mostrar e repetir as cenas violentas e convidar os comentadores sabichões a explicar o que se passa.Logo aparecem os aproveitamentos políticos e partidários, os que estão contra a polícia e, a maioria ,a favor de uma intervenção musculada, da manutenção da ordem, custe o que custar!E ainda lhe chamam «ordem democrática!Bater a torto e a direito é manter a ordem democrática?Bater em mulheres e jovens é manter a ordem democrática?
Poucos comentadores vejo a procurarem as razões de fundo desta situação que já se repetiu em França e noutros países europeus.Deixar que a polícia resolva problemas políticos é deitar mais gasóleo para a fogueira.
A ordem democrática previne a violência através de políticas mais fortes de coesão e justiça social.Como podem os sucessivos governos e autarquias conviver com situações sociais que ainda existem na Bela Vista, na Jamaica, na Cova da Moura na Costa de Caparica, na Trafaria?Continuamos a debater estratégias para a habitação, estratégias para os sem abrigo,diploma para aqui e diploma para ali sem eficácia e rapidez na devolução da dignidade a milhares de pessoas, nomeadamente jovens sem futuro.Esperamos o quê?Esperamos que a periferia arda?Como podemos permitir que o capitalismo voraz expulse tanta gente para a periferia e venda Lisboa aos turistas e estrangeiros?Como podemos permitir que os centros de emprego estejam sem capacidade de criar emprego e melhor formação.Como podemos admitir autarquias que fazem dinheiro de tudo e mais alguma coisas e não se empenham de forma mais forte na devolução de dignidade aos bairros pobres que cercam Lisboa?
A ordem democrática não é ter forças de segurança com equipamentos cada vez mais sofisticados.Agora até querem colocar câmaras nas fardas dos polícias!Quem ganha com esta sofisticação?O proprio equipamento é uma provocação para os jovens que atiram pedras à polícia!Investimentos vultosos nas forças de segurança revelam medo e não democracia.Medo próprio das ditaduras que defendem oligarcas e ditadores.
A ordem democrática pensa no interior do País e na sua desertificação.A ordem democrática pensa na Capital mas também nos subúrbios das grandes cidades.Nos transportes públicos acessíveis e baratos ou gratuitos, não deixa as IPSS constantemente a mendigarem os apoios do Estado para os lares de velhos, para a formação profissional de jovens.A ordem democrática não é esta partidarite constante onde um grupo de privilegiados vê o mundo a cores e os desgraçados a negro!Ou damos a volta a isto ou vai arder muita coisa!!

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

O DIREITO AO DESCANSO E A LEI DO MERCADO!

Não há economia sem trabalho humano!Todavia,enquanto a economia capitalista ocupa o espaço da vida das pessoas, o trabalho é desvalorizado, subalternizado, explorado de forma violenta.Os próprios meios de comunicação reflectem esta triste realidade.A maioria dos jornais, inclusive jornais de referência como o «EL Pais» ou o «LE Monde» não tratam o trabalho de forma autónoma nas suas páginas.O trabalho é tratado nas rúbricas da economia e das empresas.O mercado é tudo e o trabalho não é nada.
Neste quadro quem manda e decide a nossa vida são as empresas e os clientes.Os clientes podem ser os turistas,os que comem no restaurante ,os que compram automóveis, os que marcam uma consulta na clínica privada, os que fabricam ou compram roupa numa loja ou fabricam sapatos.Assim, por causa dos clientes que compram carros ou sapatos trabalha-se por turnos, fora de horas e sem descanso ao domingo!As empresas ditam os turnos e ditam se eu descanso ou não ao domingo e se trabalho das 7 da manhã até às  11 horas e depois vou para casa e volto ao trabalho pelas 18 horas e saio pelas 22 horas.Vida familiar? Descanso?Sim, Sim quando se puder!Meses e anos com a vida alterada, o sono alterado, a mulher que já dorme quando se chega a casa, o marido que descansa à segunda e a mulher ao domingo.
Como é possível que tudo isto esteja a acontecer sem uma grande revolta social?Contestação existe.Lutas sectoriais existem.Lutas contra os impostos e por melhores salários existem Basta olharmos para os «coletes amaraelos», para as lutas sindicais.Mas as nossas lutas não vão ao cerne da questão.Uns estão presos pela pobreza e pelo desemprego e outros pelo consumismo, pelas dívidas e prestações da casa e do carro, da água,da luz!Estamos todos armadilhados, todos prisioneiros de um modo de vida que o capital vai tecendo, que enriquece um grupo pequeno, cada vez mais pequeno!
Ora a nossa saúde é talvez o bem mais precioso que temos.Confucio dizia que os homens perdem a saúde para ganhar dinheiro e depois gastam o dinheiro para recuperar a saúde!Ora o descanso e a redução do tempo de trabalho serão vitais para impedir a degradação física e mental dos trabalhadores!A luta pela redução do tempo de trabalho sem diminuição do rendimento está no centro das nossas vidas!O descanso, nomedadmente os dois dias de descanso, sábado e domingo, são uma reivindicação justa e prioritária.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

OS BEZERROS DE OURO DO SISTEMA ECONÓMICO

Segundo notícias vindas a lume nos diários de hoje a Autoeuropa de Palmela produziu no passado
ano 224 mil carros, um aumento de 103% em relação ao ano de 2017, ficando porém aquém dos objectivos traçados pela direção que seria de 240 mil carros.
Entretanto a empresa esteve parada vários dias na época de Natal sem quelquer crise.A crise apenas se colocou aquando da greve dos estivadores e na greve dos seus próprios funcionários.
As questões que se colocam podem ser muitas.Como podemos aceitar que se obriguem os trabalhadores a trabalhar aos sábados e domingos, com turnos intermináveis como  se o destino nacional dependesse desta fábrica?Mesmo sabendo que a fábrica representa 1% do PIB nacional!Que problemas levanta sob ponto de vista ambiental este tipo de produção constante de automóveis?
Apenas se pode explicar esta situação pelo facto de que a indústria automóvel se tornou num dos grandes bezerros do sistema capitalista; que a competição sem limites se tornou noutro bezerro adorado nete sistemas económico do máximo lucro sem olhar para os limites sociais e ambientais.
Conciliação da vida familiar e profissional?Um luxo!Descanso necessário para a manuetnção da saúde do trabalhador e recuperação de energias?Um luxo!Fazer uma greve de um dia no contexto reivindicativo da empresa?Uma heresia e irresponsabilidade enorme!
Produzir cada vez mais carros?Um objectivo da empresa e um objectivo nacional!Encostar os grevistas da estiva à parede porque não se escoam os ditos carros?Uma necessidade e um desígnio nacional!
Estamos numa época de inversão dos valores.A produtividade e a competitividade foram elevadas a deusas de uma religião consumista e destruidora da coesão social e comprometedora do futuro do laneta e da humanidade.O capitalismo tudo submete à sua ideologia produtivista e consumista.

segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

A SEGURANÇA NO CENTRO DO ATAQUE DA DIREITA!


O ano de 2018 mostrou qual o elemento essencial da estratégia da direita para recuperar o poder político.Os incendios florestais, o roubo de armas emTancos o acidente de Borba e as dificuldades no SNS foram explorados pelos partidos da direita para atacar a geringonça de esquerda.Sem qualquer pudor!Sabemos agora qual vai ser a tecla onde a direita vai bater durante os próximos meses para debilitar o governo.
Diga-se que poderá ter bastante sucesso em particular se no ano de 2019 ocorrerem mais casos graves de acidentes e se a situação no SNS se agravar.Ora, a situação em Portugal após os cortes do Governo Passos/Portas e após o desinvestimento do governo Centeno/Costa, é muita delicada nomeadamente nas infraestruturas, como estradas,ferrovia, costa marítima, florestas, seca, etc.
Por outro lado , e apesar do aumento do investimento no SNS o mesmo não foi suficiente nomeadamente para aumentar o recrutamento de pessoal e melhorar as condições de trabalho dos profissionais de saúde.
A hipocrisia dos partidos de direita não tem, porém, limites .Foi com a coligação PSD/CDS, no tempo da Troika que o País mais sofreu e mais se debilitou.Aliás, a direita exige sempre menos Estado, menos despesa do Estado, menos impostos.Agora fartam-se de chorar e dizem que com este governo o Estado não garante a segurança dos cidadãos.

A estratégia está feita e vai aprofundar-se.Será impossível para qualquer governo prever que uma estrada vai ruir,uma barragem rebentar,um ciclone ou terramoto vai ocorrer!Será, todavia, necessário que um governo tome precauções, desenvolva uma estratégia de prevenção e exija que os organismos funcionem e fiscalizem.Não demita ou coloque na prateleira quem tenha a coragem de denunciar a corrupção ou denuncie um possível risco.Implemente uma cultura de exigência e de responsabilidade mas também de melhoria de condições de trabalho , de motivação salarial ,de carreira.
Não pense a direita nem a esquerda que é possível ter um Estado a funcionar com responsabilidade e eficácia sem motivação, formação e reconhecimento dos seus trabalhadores.Os funcionários públicos não podem ser privilegiados, mas também não podem ser considerados párias e  agradecidos só pelo facto de terem trabalho.